quinta-feira, fevereiro 26, 2009

ARVORE EM MIM


Arrepios de tristeza

percorrem o meu corpo

cascatas de água salgada

correm pelo meu rosto

As raizes que fui criando

começam a morrer

meus braços caiem por terra

qual arvore a morrer.

Sinto-me a secar

com sede da vida

que me faz vibrar.

O sopro das palavras

são ventanias para mim

O sorriso dos outros

são trevoadas que caiem em mim.

Choro compulsivamente

sinto a seiva escorrer em mim

as palavras já não saiem

só falta cortarem

o que há dentro de mim...


AUTORA:

ANJA

2 comentários:

manzas disse...

Lindo!

Sublimes versos escapam das almas dos poetas
Viajando até ao fundo dos céus como balões …
Suspensos ficam no tecto brilhando poesias inquietas
Reflectindo olhos orvalhados em prados de emoções

Dedicado a todos
Os poetas e poetisas
Deste mundo,
Os que já adormeceram,
E aos outros
Que ainda nem sono têm...

Bem hajam!

Um resto de uma boa semana...

O eterno abraço…

-MANZAS-

joana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.